• As afirmações de Miguel Gaspar, vereador com o pelouro da mobilidade da Câmara Municipal de Lisboa (CML), na reunião pública de 30 de Outubro e que podem ser visionadas na Internet, segundo as quais a implementação da ciclovia na Avenida Defensores de Chaves não teve objecções por parte da Associação Vizinhos das Avenidas Novas (VAN), cuja grande preocupação se prendia com a eventual diminuição de estacionamento na zona, foram desmentidas em comunicado por esta entidade.
Num esclarecimento publicado na página do Facebook, a VAN confirma que se realizou uma reunião com aquele vereador, durante a qual, “entre bastantes outros temas discutidos, foi de facto abordada a ciclovia da Defensores de Chaves”, acrescentando que  “não tendo nós manifestado de facto objecções  além do cuidado que deveria ser tido na eliminação do estacionamento de superfície e na forma como deveria a mesma ser apresentada aos moradores”. Não obstante, “nessa reunião não foi apresentado ou discutido o projecto e desenho da referida ciclovia, nem o mesmo foi debatido ou discutido com esta associação”. Para a VAN a forma como foi implementada a cliclovia na Avenida Defensores de Chaves “é errada e ajuda a criar mais problemas do que a resolver”.
A Vizinhos das Avenidas Novas salienta que a sua posição sobre as ciclovias “é de apoio à sua implementação, mas com articulação local com os moradores, em termos do projecto, com informação prestada, e receptiva às nossas sugestões e alertas”.
Os moradores continuam a criticar a referida estrutura, pois aumentou os congestionamentos de trânsito e a poluição sonora na zona. As horas mais críticas são entre as 17h00 e as 19h00. A obra camarária resultou no reperfilamento daquela artéria, que passou a ter passeio, estacionamento, ciclovia e faixa de rodagem.f 

Advertisements

Comente esta notícia

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.