“Pela suspensão imediata da ‘ciclovização’ desenfreada e sem critério da cidade de Lisboa” é o título de uma petição pública dirigida a Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML).

• No documento, que tinha na hora de fecho desta edição mais de 1100 assinaturas, afirma-se que a criação de “ciclovias por toda a cidade com pouco critério, eliminando faixas de rodagem” obstrui “o trânsito de ambulâncias, táxis, autocarros e outros veículos essenciais e de veículos automóveis privados, meio de transporte de muitos dos utentes da via pública”. Os peticionários afirmam que “a aposta obstinada e quase exclusiva nas ciclovias tem levado o executivo municipal a negligenciar quase por completo a realização de obras de repavimentação de muitas vias públicas, mesmo de alguns eixos fundamentais de circulação”. Miguel Gaspar, vereador com o pelouro da Mobilidade, veio a terreiro afirmar que a CML detém estudos sobre o tema, mas não divulgou qualquer deles. Entretanto o CDS e o PSD entregaram requerimentos na Assembleia Municipal solicitando os referidos relatórios.f

Comente esta notícia

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.