• As obras estruturais do muro de contenção da Marginal de Cascais começam no próximo ano e estão orçamentadas em dois milhões de euros. Até lá, a Câmara Municipal de Cascais (CMC) vai fazer intervenções de emergência, como a que está a decorrer entre S. Pedro e a Parede, e que implica um investimento de 150 mil euros, embora não seja da sua competência. Para os autarcas, a medida é justificada por um risco objectivo para a segurança das pessoas que circulam na estrada, dada a degradação do muro que a separa do mar e porque “a Infraestruturas de Portugal (IP) e a Agência Portuguesa do Ambiente estavam em dúvida sobre qual das duas teria de ser responsável pela intervenção”, esclarece Carlos Carreiras. Segundo o autarca, a obra estrutural “já tem projecto” e vai ser lançado um “concurso público, depois tem de ter o visto do Tribunal de Contas”. Entretanto, a IP divulgou um comunicado no qual afirma que “a muralha não suporta directamente a Estrada Marginal, cuja plataforma rodoviária assenta num maciço rochoso calcário que mantém a sua integridade”. A Marginal foi a primeira estrada de Turismo do País no dizer de Duarte Pacheco, ministro das Obras Públicas, quando anunciou a sua construção (1937).  A ideia foi ligar a Capital a Cascais através de uma via cujo traçado realçasse a paisagem e a barra de Lisboa. A EN6 concluiu-se em Junho de 1942.f

Advertisements

Comente esta notícia

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.