As ‘Lojas com História’ da freguesia parecem estar a resistir à crise económica e social derivada da crise sanitária e dos brutais aumentos dos preços dos bens provocado pela crise energética.

● Ao todo são nove: Casa Xangai (roupas para o lar), Galeto (restaurante), Laurentina (restaurante), O Polícia (restaurante), Oh Lacerda (restaurante), Versailles (pastelaria), Pérola do Chaimite (chás e cafés), Tapetes de Arraiolos Trevo (decoração) e Tricana (decoração). Esta resiliência não se verifica em muitos outros casos da cidade, o que originou um alerta da União de Associações do Comércio e Serviços (UACS), segundo a qual a protecção do programa “Lojas com História” da Câmara Municipal de Lisboa (CML) pode não ser suficiente para travar o encerramento destes espaços comerciais na capital. Estima-se que já tenham fechado portas mais de 150 estabelecimentos pré-seleccionados para o programa camarário. A UACS defende que devem ser discutidos “de forma mais célere” os processos de candidatura apresentados ao programa para “conceder efectiva protecção aos estabelecimentos emblemáticos da cidade que mereçam ser distinguidos”. O objectivo passa por preservar e promover o comércio local e tradicional de Lisboa como “marca diferenciadora da cidade”, protegendo a sua integridade e autenticidade.f

Quanto vale este artigo?

A SUA CONTRIBUIÇÃO É UM FACTOR DE PROTECÇÃO DA INDEPENDÊNCIA EDITORIAL DO ‘FREGUÊS’. CONTRIBUA PARA A DEFESA DA CAUSA PÚBLICA E A INVESTIGAÇÃO DE QUESTÕES CRÍTICAS PARA A VIDA COMUNITÁRIA.

PUB




PUB




Comente esta notícia

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.