● A Assembleia Municipal de Lisboa aprovou por unanimidade, no passado dia 10, uma recomendação à Edilidade lisboeta no sentido de “exigir à Infraestruturas de Portugal, EP a reposição da iluminação em toda a extensão do eixo Norte-Sul, bem como o seu reforço nas zonas dos acessos”.
Os deputados municipais afirmam que o troço daquela via rápida entre Entrecampos/Sete Rios e a Segunda Circular regista tráfegos médios diários superiores a 100 mil veículos e que “a iluminação durante o período nocturno é praticamente inexistente em toda a sua extensão e também na zona dos nós de acesso”.
 
Falta de segurança
O Eixo Norte-Sul é uma via rápida que atravessa a cidade de Lisboa de norte a sul sendo parte integrante do IP7. Esta importante via liga a Ponte 25 de Abril à CRIL/IC17/A36, a nascente do Túnel do Grilo. A partir de 2003, a via foi integrada no Itinerário Principal N.º 7 da Rede Rodoviária Nacional, sob tutela da Administração Central. Dadas as recentes alterações das condições de circulação na cidade, tem-se verificado um elevado desvio de veículos para esta infra-estrutura, “desvirtuando a sua função, ainda que não esteja sob jurisdição directa da CML”.
No documento, afirma-se que “tais situações configuram um agravamento das condições de segurança, aumentando ainda o risco da ocorrência de acidentes e todas as consequências nefastas daí decorrentes”.
Os eleitos sublinham que se torna “também necessária uma maior e melhor colaboração entre os serviços da CML e da IP no sentido de ser efectuado um levantamento das condições de iluminação nos eixos rodoviários mais importantes da cidade e definição dos graus de responsabilidade de cada uma das partes”.
A recomendação foi proposta pelo PSD e aprovada por todas as forças políticas com assento na AM.f

Comente esta notícia

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.