A Escola Superior de Educação de Lisboa (ESELx) vai comemorar, no próximo dia 10 de Dezembro, os 100 anos do início das aulas da então Escola Normal Primária de Lisboa que se situa no campus de Benfica. Conferências e debates, exposição de fotografia e momentos musicais vão marcar o dia. A sessão de abertura contará com a presença de João Costa, Secretário de Estado Adjunto e da Educação.
 
●A ESELx é herdeira pedagógica de duas instituições de formação de educadores e professores: a Escola do Magistério Primário de Lisboa e o Instituto António Aurélio da Costa Ferreira. As raízes da ESELx remontam ao reinado de D. Luís e ao ano de 1862, quando foi criada a Escola Normal Primária de Lisboa. Instalada no Palácio dos Marqueses de Abrantes, em Marvila, a Escola admitia apenas alunos do sexo masculino. A Escola Normal Feminina, localizada no Calvário, iniciou a sua actividade no ano de 1866. A partir de 1914, as duas Escolas Normais fundiram-se e passaram a funcionar em regime de coeducação, em edifício próprio, localizado na Quinta de Marrocos em Benfica, no ano de 1919. Trata-se do edifício onde hoje se encontra instalada a Escola Superior de Educação de Lisboa, que iniciou as suas actividades em 1985.
A ESELx, que chegou a estar sediada em quatro locais diferentes, sem condições adequadas ao seu funcionamento, só no final de 1990 ficou instalada no referido edifício que tem vindo a sofrer obras de restauro, manutenção e recuperação.
 
Edifício centenário
Este edifício começou a ser construído no dia 10 de Dezembro de 1916. Nesse dia, foi colocada a primeira pedra para a edificação da, então designada, Escola Normal Primária de Lisboa. A cerimónia contou com a presença de Bernardino Machado, presidente da República, de Pedro Martins, ministro da Instrução, e de Arnaldo Adães Bermudes, arquitecto responsável pelo projecto e pela orientação da obra,
A Escola Normal Primária de Lisboa permaneceu neste espaço até 1930, ano em que o Estado Novo extinguiu todas as Escolas Normais do País, substituindo-as pelas Escolas do Magistério Primário. A Escola do Magistério Primário de Lisboa funcionou sempre neste edifício.
Em Novembro de 1936 foram suspensas as matrículas no 1.º ano das Escolas do Magistério Primário, determinação que conduziu ao seu encerramento no prazo de seis anos. Este acontecimento correspondeu ao final de um ciclo de influências pedagógicas e ideológicas do tempo da 1.ª República.As Escolas do Magistério reabriram em 1943 com novas regras e novos programas, que foram mantidos até 1974.
Na consequência do 25 de Abril, foram introduzidas alterações significativas.Pelo Decreto-Lei n.º 101/86 de 17 de Maio, as Escolas do Magistério Primário foram progressivamente extintas, passando a formação de educadores e professores do ensino básico para as Escolas Superiores de Educação e para os Centros Integrados de Formação de Professores, inseridos nas Universidades.
 
Ensino especial
O Instituto António Aurélio da Costa Ferreira (IAACF), a segunda componente histórica da ESELx, foi criado em 1929 pelo Ministério da Instrução Pública para orientação de crianças “deficientes” em idade escolar, e para formação de técnicos especializados no acompanhamento destas crianças. De 1942 a 1948, o curso do IAACF sofreu actualizações, numa constante adaptação aos novos conceitos educativos e às exigências das crianças com necessidades educativas especiais. Em 1986,  a Escola Superior de Educação de Lisboa passou a ministrar o curso de especialização em Educação Especial, substituindo o IAACF como instituição de formação de educadores e professores neste domínio.
Este curso terminou na sequência da publicação da Portaria n.º 1072/91 de 23 de Outubro que cria os CESEs em Educação Especial: Educação Pré-Escolar e Ensino Básico (1.º Ciclo) e Ensinos Básico (2.º e 3.º Ciclos) e Secundário.f

Comente esta notícia

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.