• O número de lojas de comércio de rua aumentou nas Avenidas Novas, de acordo com dados divulgados pela consultora Cushman & Wakefield, sendo a freguesia que mais se destacou entre Janeiro e Agosto deste ano ao nível da abertura deste tipo de retalho. A procura foi maioritariamente protagonizada por operadores locais e independentes, principalmente do sector da restauração. A freguesia confirma a elevada atractividade para os comerciantes, empreendedores e empresários. O Chiado e o eixo entre o Cais do Sodré e o Bairro Santos surgem logo a seguir. O aumento do poder de compra das famílias portuguesas e a vitalidade do turismo são os impulsionadores do sector de retalho. Nos primeiros oito meses do ano foram registadas mais de 550 novas aberturas neste segmento, 71% das quais de comércio de rua. O comércio de rua é um factor fundamental para a sustentabilidade e crescimento das cidades, aumentando a sua atractividade para a população. Ainda segundo a consultora, as rendas encontram-se estabilizadas, “após o crescimento favorável dos últimos anos, limitadas pela escassez de espaço disponível nas zonas prime e conjuntos comerciais consolidados”. Nos últimos meses,  a oferta de escritórios está a aumentar na freguesia.f

Comente esta notícia

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.