Quem passa junto da Nova SBE (School of Business and Economics) repara num pequeno autocarro que parece um carrinho de brincar. Mas não é. Trata-se de um veículo autónomo, ou seja, sem condutor que, desde 30 de Setembro, faz um percurso de 800 metros entre a universidade e a Rotunda de São Gonçalo. A iniciativa é da Câmara Municipal de Cascais (CMC) e é o primeiro transporte público do género a circular no País.

• Depois de testar a tecnologia que permite a este veículo autónomo, totalmente eléctrico, circular sem necessidade de condutor, começou a segunda etapa:  experimentar um serviço público e regular, integrado na rede de transportes municipal, MobiCascais.
A título gratuito, os fregueses podem experimentar este novo meio de transporte, que tem causado admiração e espanto a quem o vê passar.
O minibus circula de segunda a sexta-feira, entre as 08h30 e as 17h30. Para já, o trajecto, em via dedicada, é reduzido, situação que se manterá até o veículo estar homologado pelo Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT). Só depois, poderá circular em situação real no espaço público e atravessar cruzamentos. Esta circunstância determina que, para já, o fim da linha seja a Rotunda de São Gonçalo.
Até ao final do ano, a autarquia espera poder prolongar o percurso até à Rotunda dos Lombos e, mais tarde, até à Estação Ferroviária de Carcavelos. Até lá, os fregueses podem ir testando as virtudes do Easy Mile EZ.10, o modelo escolhido para circular no concelho, com capacidade para transportar 12 pessoas ou uma carga máxima de 1.000 quilos.
 
Fotografia para mostrar ao neto
Para operar o minibus autónomo foram formados quatro elementos da MobiCascais, que tiraram um certificado especial junto da EasyMile, empresa francesa responsável pela produção do veículo, que dispõe de meios tecnológicos de ponta, como sensores, câmaras e dispositivo GPS, que o orientam, detectam obstáculos e garantem a segurança de utentes da via pública. A velocidade máxima é de 16km/hora em sistema autónomo, reduzidos para 5km/hora em modo manual.
A autonomia das baterias do veículo é de 16 horas. Com o ar condicionado a funcionar, essa autonomia cai para metade, ou seja, oito horas. O carregamento das baterias demora cerca de 12 horas e conta com um posto instalado no edifício da Universidade Nova SBE. Apesar de ainda não estar homologado, o minibus já tem seguro de circulação válido até 19 de Maio de 2020.
João Ruben, de 29 anos, um dos operadores que tem acompanhado esta nova etapa da implementação do veículo autónomo, conta que os passageiros são de todas as idades. “Normalmente, mostram curiosidade para saber como é que o veículo se comporta, o que causa, por vezes, algum espanto”, afirma. Apesar do pouco tempo em circulação já há, pelo menos, um episódio que promete tornar-se moda: “recentemente, viajou connosco um senhor mais idoso que veio com a intenção de fotografar o minibus para mostrar ao neto”, revela.
A CMC já fez saber que, no futuro, os utilizadores do novo serviço vão pagar um bilhete de bordo no valor de um euro, sendo que os passes vão dar também acesso ao minibus eléctrico. Ainda segundo a autarquia, o investimento neste novo meio de transporte atinge os 500 mil euros (250 mil para a aquisição do veículo e outro tanto para a manutenção nos próximos cinco anos), sendo feito através da empresa municipal Cascais Próxima.f
LUIS CURADO

Comente esta notícia

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.