A estátua de homenagem ao Pupilo do Exército, um sonho antigo do Instituto dos Pupilos do Exército (IPE), a colcoar junto ao Mercado de São Domingos de Benfica, foi o projecto mais votado no Orçamento Participativo deste ano, obtendo 5591 votos, estando orçamentado em 80 mil euros. Na 11.ª edição do OP, os lisboetas escolheram 19 projectos, entre 128, que querem ver implementados na cidade.  A estátua vai ser concebida pelo escultor António Reis Vidigal.
O local escolhido para a estátua, proposta pela Associação Pupilos do Exército (APE), situa-se perto da primeira secção do Instituto Pupilos do Exército, situada na Travessa de São Domingos de Benfica, em espaços que fizeram parte do Convento de São Domingos e onde, outrora, se ergueu o Paço Real de Benfica. O edifício é conhecido entre os pupilos por “casa tão bela e tão ridente”. A segunda secção situa-se num troço da Estrada de Benfica. De acordo com Américo Ferreira, presidente da APE, “passará a ser uma evocação do passado, do presente e do futuro de todos quantos passaram pelos Pupilos do Exército”. Embora a figura seja a de um Pupilo, a estátua “terá também um pouco de todos aqueles que ajudaram, desde a sua Fundação, a manter viva uma escola diferente, que tem contribuído em todos estes anos para a formação de inúmeros “Cidadãos úteis à Pátria”.
 
Pupilos do Exército: escola de valores patrióticos
No mesmo sentido, Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, já considerou os alunos do Instituto dos Pupilos do Exército privilegiados por pertencerem a “uma grande escola de valores, formação e de serviço nacional”. Para o Chefe de Estado, os que escolherem a carreira militar passam “a ser parte integrante dessa componente única da identidade nacional”. Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que “o Presidente da República e Comandante Supremo das Forças Armadas tem muito orgulho no passado, no presente e no futuro dos Pupilos do Exército”. “E só espera que cada um de vós possa afirmar um dia, no termo de uma vida que está agora a começar: eu servi Portugal, com o meu estudo, com a minha vontade, com a minha humildade, com o meu patriotismo. Se assim for, terá valido a pena ter vivido os anos únicos de educação, de camaradagem, de descoberta do futuro nesta grande casa que sempre foi, é e sempre será, o Instituto dos Pupilos do Exército”, completou.
 
Desde 1911
Os antecedentes do IPE remontam a 1911, quando, por Decreto-Lei de 25 de Maio e por inspiração do General António Xavier Correia Barreto, ao tempo Ministro da Guerra, foi criado o Instituto Profissional dos Pupilos do Exército de Terra e Mar.  Actualmente, o IPE é um estabelecimento militar de ensino público, inserido na orgânica do Exército, tutelado pelo Ministério da Defesa Nacional (MDN), seguindo directrizes pedagógicas do Ministério da Educação e disponibilizando o ensino de 2.º  e 3.º ciclos e secundário em regime de internato e externato.
Os cursos de Ensino Profissional dão acesso aos cursos de especialização tecnológica de nível pós-secundário não superior que visam conferir uma qualificação com base em formação técnica especializada, ou aos cursos técnicos superior profissionais que conferem diploma de técnico superior profissional. Os alunos que concluam o Ensino Secundário também podem candidatar-se aos cursos no Ensino Superior que conferem grau de licenciatura, mestrado ou doutoramento, desde que realizem os exames nacionais e as provas específicas requeridas. Os estudantes do IPE são conhecidos por “Pilões”. O lema do IPE é “Querer é Poder” e tem como patrono D. João de Castro.f

Comente esta notícia

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.