● O concurso público para a construção de uma urbanização entre as avenidas Marechal Teixeira Rebelo e Condes de Carnide, parte da qual destinada ao Programa Renda Acessível (PRA), vai abrir em breve.  Com um investimento que ronda os 69 milhões de euros, prevê-se a construção de 8 edifícios, os quais incluem uma creche e um jardim infantil, bem como espaços comerciais e de serviços. Seis edifícios vão ser destinados a habitação e terão 756 fogos, dos quais 569 estarão afectos ao referido programa.  Cerca de 56% dos apartamentos serão de tipologias  T0 e T1.
Uma torre com o máximo de 23 andares é a “imagem de marca” da nova urbanização. Cada andar vai ter 14 apartamentos, totalizando 314 fogos, todos afectos ao PRA. As áreas vão ser entre 36 m2 (T0) e os 94 m2 (T3). A CML assegura que as áreas previstas para os fogos “cumprem escrupulosamente as áreas necessárias à habitabilidade, segurança e circulação”. Além disso, acrescenta a mesma fonte, “a qualidade dos projectos e obra é assegurada através dos termos de referência do caderno de encargos, com mapa de acabamentos, gamas de materiais, imagens de referência e organização funcional tipo”.
Segundo a CML, a localização é  “privilegiada” porque se situa numa área de transição entre uma estrutura residencial consolidada de Benfica e uma grande área verde pública, a Quinta Histórica da Granja, estando a 5 minutos do interface de transportes do Colégio Militar, com Metropolitano e múltiplas ligações em autocarro, ao lado do Centro Comercial Colombo, a 5 minutos do Complexo Desportivo do Sport Lisboa e Benfica e em frente ao Hospital da Luz.
 
O que é o PRA
O Programa de Renda Acessível é uma iniciativa da CML que visa construir nos próximos anos entre cinco a sete mil habitações com renda acessível distribuídos por 15 bairros da cidade.
A CML disponibiliza terrenos municipais através de concurso público. Os parceiros privados projectam, constroem, arrendam e gerem as habitações com rendas acessíveis dirigidas à classe média. Os rendimentos dos parceiros privados resultam das rendas acessíveis, das rendas comerciais e da propriedade plena, de uma ou mais parcelas, de terreno municipal. O investimento é privado. As tipologias das habitações, T0, T1 e T2, terão rendas entre os 250 e os 450 euros, muito abaixo dos valores praticados pelo mercado. O PRA prevê ainda a construção de comércio e serviços, bem como novos equipamentos de proximidade, como creches e escolas. Todas as pessoas podem candidatar-se, desde que não sejam proprietárias de uma casa, que não beneficiem de programas sociais de habitação e que o seu rendimento ilíquido se situe entre 7 500 e os 40 mil euros por ano.f

Comente esta notícia

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.