O aviso foi lançado no passado dia 25 de Setembro através das redes sociais, na página do vereador Nuno Piteira Lopes no Facebook. “Em breve vão iniciar-se os trabalhos de reordenamento da zona de Rebelva”, revelou o responsável camarário pelas áreas do Licenciamento Urbanístico, Intervenção Territorial, Reabilitação Urbana, Licenciamento Económico e Veterinário Municipal, Coordenação do Associativismo e Associações de Moradores. Os moradores foram apanhados de surpresa.

● “Para além do reperfilamento das vias, que permitirão a circulação automóvel segura e com menos complicações, serão criados novos lugares de estacionamento, resolvendo a escassez até agora existente”, adiantou o o vereador da Câmara Municipal de Cascais (CMC). O projecto prevê transformar o miolo da Rebelva numa “verdadeira zona de comércio e serviços, dando prioridade ao peão e à mobilidade suave em detrimento do automóvel”, precisou.
Rapidamente, as redes sociais foram inundadas por comentários de fregueses, uns descontentes com a forma como o anúncio foi feito, outros desconfiados com o que não foi anunciado. “O estacionamento vai ser pago? A estrada da Rebelva vai ter via única? Vão ser colocados semáforos para controlar a velocidade? Vai ser reduzido o tráfego pesado naquele local?”, são algunas questões levantadas por José Coelho Martins na página ‘Independentes de Carcavelos e Parede’. De acordo com os protestos de alguns fregueses, a obra não foi devidamente divulgada e apanhou muita gente desprevenida, que acusa a CMC de falta de informação. Não obstante, foram distribuídos alguns panfletos informativos.

Reclamações antigas
Apesar dos protestos, os fregueses reclamavam há muito uma intervenção profunda na zona. São constantes, as queixas dos residentes e de quem por motivos profissionais tem sido obrigado a circular no principal eixo viário que atravessa a localidade. A Estrada da Rebelva tem causado muitas dores de cabeça a quem, diariamente, enfrenta longas filas de trânsito formadas por veículos, muitos deles pesados, que se dirigem para a Autoestrada 5 (A5), com destino a Lisboa.
Nas palavras de um freguês, que contactou o ‘FREGUÊS DE CARCAVELOS PAREDE’, as situações sinalizadas obrigam a ter “uma atenção redobrada” por parte dos peões, visto que por vezes é necessário “ir para a estrada”, pois o passeio é demasiado estreito ou mesmo inexistente em algumas áreas. Na zona existem vários restaurantes, com grande afluência de pessoas, sobretudo aos fins-de-semana.
Ao início da manhã e ao final da tarde, os moradores da Rebelva são confrontados com elevado volume de tráfego e poluição sonora. Grande parte dos veículos provém dos pais que vão deixar ou recolher os filhos ao Colégio Marista de Carcavelos e ao Agrupamento de Escolas de Santo António ou que vêm da zona de Rana, da Parede ou da Avenida da República.
O trânsito na Rotunda da Rebelva “é caótico” e a partir das 08h00 “é virtualmente impossível passar no local”, referem os queixosos, defendendo que o desenho divulgado pela autarquia “só vai piorar a circulação na zona”. Dois dos pedidos formulados pelos fregueses foram a instalação de lombas para obrigar os veículos a reduzirem a velocidade e a colocação de pinos para evitar o estacionamento abusivo em cima dos passeios. Todos desejam que o Projecto de Reabilitação Urbana da Rebelva possa vir a responder às queixas apresentadas pelos fregueses.

Obra concluída em Dezembro
A obra, a cargo da Protecnil – Sociedade Técnica de Construções, S.A., implica um investimento de 172.053,35 euros. A intervenção beneficia de um apoio de 50 por cento proveniente da União Europeia, ao abrigo do programa FEDER (Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional), no valor de 86.026,67 euros. De referir que o Projecto de Reabilitação Urbana da Rebelva surge no âmbito do PARU (Plano de Acção de Regeneração Urbana).
As obras tiveram início do passado dia 28 de Setembro e devem estar concluídas em Dezembro próximo.f

LUIS CURADO

Comente esta notícia

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.